terça-feira, 31 de maio de 2011

Vamos renovar a espécie humana...

"Durante a nossa vida aprendemos a valorizar coisas que não são fundamentais.
Materialismo, modismo, poder, status, e coisas desse tipo são o que importam na nossa sociedade.
Por isso queremos convocá-lo para uma revolução: Vamos renovar a espécie humana! Vamos investir na alma
Resgatar não só a natureza, mas o natural
Vamos vender mais paz, não filtrar as emoções, qualecer a inveja, contabilizar as boas relações, reciclar as relações ruins, reatar as velhas amizades.
Equipe o prazer, trabalhe a perseverança, vença o cansaço. Faça a diferença sem precisar de propaganda, resolva tudo sem alarde, use o marketing da sinceridade, cobre o profissionalismo de todos, inclusive daqueles que você elegeu.
Vamos maximizar a energia, preservar os recursos, tratar a água, pois ela é nossa fonte de vida. E como o ar, também é meio de vida, vamos ser transparentes.
Renove o estoque de sorrisos, canalize os bons pensamentos, use o marketing no amor, abrace mais. Beije seus amores, relembre quanto os ama, e com a mesma força diga não ao racismo, a intolerância, a discriminação.
Seja saudável, inclusive nas atitudes, dê bons exemplos.
Diga a verdade, principalmente às crianças, para que elas cresçam sabendo acreditar. Crie seus filhos como cidadãos do mundo.
Cultive Deus!! E viva na razão da emoção, lutando pela felicidade plena e por um futuro melhor.
E agradeça sempre por estar nesse mundo."


Autor desconhecido

terça-feira, 24 de maio de 2011

Bijuteria D´as Meninas Atelier



D´as Meninas Atelier por Indira Lucena
CLSW 104, bloco B, ed. Sudoeste Shopping
Contato: (61) 3032 73 83/ 8487 4181

Jeans ou Couro?






Desenvolvido pela Ellus em 2010, o Jeans Resinado , super tendência, inverno 2011, vem tomando cada vez mais espaço em nossos armários..
O jeans, de cara nova, vem com um brilho que lembra o couro, porém, muito mais confortável e menos barulhento que o couro natural...

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Realidade aumentada!!


Adorei!!

Nao querendo desenhar o que vem a ser realidade aumentada...colhi da internet esse video que deixou em mim esse desejo enoooorme de sair por aí provando várias roupitchaas...Já que, cá entre nós, comprar é bom...agora, provaaaaar?!...Num dá, né!!

...



Pulseiras D´as Meninas Atelier

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Kit D´as Meninas Atelier por Indira Lucena
CLSW 104, bloco B, ed. Sudoeste Shopping
Contato: (61) 3032 73 83/ 8487 4181
D´as Meninas Atelier
CLSW 104, bloco B, ed. Sudoeste Shopping
Contato: (61) 3032 73 83/ 8487 4181

...

D´as Meninas Atelier


CLSW 104, bloco B, ed. Sudoeste Shopping
Contato: (61) 3032 73 83/ 8487 4181

Da realidade...



"Nenhuma prioridade pode ser firmada sem que, antes, você se posicione diante da realidade."
Fernando Lapolli


terça-feira, 17 de maio de 2011

...

Kit de Pulseria e Brinco D´as Meninas Ateliê
CLSW 104, bloco B, ed. Sudoeste Shopping
Contato: (61) 3032 73 83/ 8487 4181

D´as Meninas Ateliê Especial

 
CLSW 104, bloco B, ed. Sudoeste Shopping
Contato: (61) 3032 73 83/ 8487 4181


E no meio de tanta gente eu encontrei você...


...Entre tanta gente chata, sem nenhuma graça

                                                      Você veio!!
CLSW 104, bloco B, ed. Sudoeste Shopping
Contato: (61) 3032 73 83/ 8487 4181



D´as Meninas Ateliê
CLSW 104, bloco B, ed. Sudoeste Shopping
Contato: (61) 3032 73 83/ 8487 4181


segunda-feira, 16 de maio de 2011

Brinco e Bracelete D'as Meninas Atelie
CLSW 104, bloco B, ed. Sudoeste Shopping
Contato: (61) 3032 73 83/ 8487 4181

quinta-feira, 12 de maio de 2011

terça-feira, 10 de maio de 2011

O tempo...

“O tempo, de vento em vento, desmanchou o penteado arrumadinho de várias certezas que eu tinha, e algumas vezes descabelou completamente a minha alma. Mesmo que isso tenha me assustado muito aqui e ali, no somatório de tudo, foi graça, alívio e abertura. A gente não precisa de certezas estáticas. A gente precisa é aprender a manha de saber se reinventar. De se tornar manhã novíssima depois de cada longa noite escura. De duvidar até acreditar com o coração isento das crenças alheias. A gente precisa é saber criar espaço, não importa o tamanho dos apertos. A gente precisa é de um olhar fresco, que não envelhece, apesar de tudo o que já viu. É de um amor que não enruga, apesar das memórias todas na pele da alma. A gente precisa é deixar de ser sobrevivente para, finalmente, viver. A gente precisa mesmo é aprender a ser feliz a partir do único lugar onde a felicidade pode começar, florir, esparramar seus ramos, compartilhar seus frutos…”

Ana Jácomo

segunda-feira, 9 de maio de 2011


Clutch dourada por R$ 120,00

demorei, mas postei
D'as Meninas Ateliê


Oferta no site Quero Quero




Das Meninas Ateliê
Sudoeste

CLSW 104 Bloco B Ed. Sudoeste Shopping Loja 37/39, Sudoeste - Brasília/DF.
(61) 3032-7383

Se o cachorro é o melhor amigo do homem, podemos dizer que as joias são as melhores amigas das mulheres. Tudo bem não é fácil fazer essa afirmação, afinal, é uma disputa forte entre maquiagens, perfumes, sapatos, bolsas. Esse é o fascinante mundo feminino!

Mas quem somos nós para contestar a imortal e poderosa Marilyn Monroe que cantou ‘Jewels are the girl´s best friends’, que quer dizer ‘Joias são as melhores amigas das mulheres’. O que nos resta fazer é concordar que mulheres e jóias formam uma combinação perfeita, são brilhos que se completam.

Para abrilhantar ainda mais o universo feminino, o Quero-Quero firmou uma parceria com o Ateliê das Meninas, que vende semijóias (banhadas à ouro), e conseguiu 55% de desconto para as nossas passarinhas vaidosas. São $40 de crédito no ‘Das Meninas Ateliê Especial’ pagando apenas $18.

O ‘Das Meninas Ateliê Especial’ vende lindos brincos, colares, anéis, pulseiras, cintos e inúmeros acessórios que enchem os olhos das mulheres. Por isso, não perca tempo, garanta logo o seu cupom e presenteie com semijoias!


domingo, 8 de maio de 2011

Defenestração – Luis Fernando Veríssimo


Certas palavras tem o significado errado. Falácia, por exemplo, devia ser o nome de alguma coisa vagamente vegetal. As pessoas deveriam criar falácias com todas as suas variedades. A Falácia Amazônica. A misteriosa Falácia Negra.
Hermeneuta deveria ser o membro de uma seita de andarilhos herméticos. Onde eles chegassem, tudo se complicaria.
- Os hermeneutas estão chegando!
- Ih, agora que ninguém vai entender mais nada…
Os hermeneutas ocupariam a cidade e paralisariam todas as atividades produtivas com seus enigmas e frases ambíguas. Ao se retirarem deixariam a população prostrada pela confusão. Levaria semanas até que as coisas recuperassem o seu sentido óbvio. Antes disso, tudo pareceria ter um sentido oculto.
- Alo…
- O que é que você quer dizer com isso?
Traquinagem deveria ser uma peça mecânica.
- Vamos ter que trocar a traquinagem. E o vetor está gasto.
Plúmbeo deveria ser barulho que um corpo faz ao cair na água.
Mas, nenhuma palavra me fascinava tanto quanto defenestração.
A princípio foi o fascínio da ignorância. Eu não sabia o seu significado, nunca me lembrava de procurar no dicionário e imaginava coisas. Defenestrar deveria ser um ato exótico praticado por poucas pessoas. Tinha até um certo tom lúbrico. Galanteadores de calçada deveriam sussurrar ao ouvido de mulheres:
- Defenestras?
A resposta seria um tapa na cara. Mas, algumas… Ah, algumas defenestravam.
Também podia ser algo contra pragas e insetos. As pessoas talvez mandassem defenestrar a casa. Haveria, assim, defenestradores profissionais.
Ou quem sabe seria uma daquelas misteriosas palavras que encerram os documentos formais? “Nesses termos , pede defenestração..” Era uma palavra cheia de implicações. Devo até tê-la usado uma ou outra vez, como em?
-Aquele é um defenestrado.
Dando a entender que era uma pessoa, assim, como dizer? Defenestrada. Mesmo errada era a palavra exata.
Um dia, finalmente, procurei no dicionário. E aí está o Aurelião que não me deixa mentir. “Defenestração” vem do francês “Defenestration”. Substantivo feminino. Ato de atirar alguém ou algo pela janela.
Ato de atirar alguém ou algo pela janela!
Acabou a minha ignorância, mas não minha fascinação. Um ato como esse só tem nome próprio e lugar nos dicionários por alguma razão muito forte. Afinal, não existe, que eu saiba, nenhuma palavra para o ato de atirar alguém ou algo pela porta, ou escada a baixo. Por que então, defenestração?
Talvez fosse um hábito francês que caiu em desuso. Como o rapé. Um vício como o tabagismo ou as drogas, suprimido a tempo.
- Lês defenestrations. Devem ser proibidas.
- Sim, monsieur le Ministre.
- São um escândalo nacional. Ainda mais agora, com os novos prédios.
- Sim, monsieur lê Mnistre.
-Com prédios de três, quatro andares, ainda era possível. Até divertido. Mas, daí para cima vira crime. Todas as janelas do quarto andar para cima devem ter um cartaz: “Interdit de defenestrer”. Os transgressores serão multados. Os reincidentes serão presos.
Na Bastilha, o Marquês de Sade deve ter convivido com notórios defenestreurs. E a compulsão, mesmo suprimida, talvez ainda persista no homem, como persiste na sua linguagem. O mundo pode estar cheio de defenestradores latentes.
- É essa estranha vontade de jogar alguém ou algo pela janela, doutor…
- Humm, O Impulsus defenestrex de que nos fala Freud. Algo a ver com a mãe. Nada com o que se preocupar – diz o analista, afastando se da janela.
Quem entre nós nunca sentiu a compulsão de atirar alguém ou algo pela janela? A basculante foi inventada para desencorajar a defenestração. Toda a arquitetura moderna, com suas paredes externas de vidro reforçado e sem aberturas, pode ser uma reação inconsciente a esta volúpia humana, nunca totalmente dominada.
Na lua-de-mel, numa suíte matrimonial no 17º andar.
-Querida…
- Mmmm?
-Há uma coisa que preciso lhe dizer…
-Fala amor.
-Sou um defenestrador.
E a noiva, na inocência, caminha para a cama:
- Estou pronta pra experimentar tudo com você. Tudo!
Uma multidão cerca o homem que acaba de cair na calçada. Entre gemidos, ele aponta para cima e balbucia:
- Fui defenestrado…
Alguém comenta:
- Coitado. E depois ainda atiraram ele pela janela.
Agora mesmo me deu uma estranha compulsão de arrancar o papel da máquina, amassa-lo e defenestrar essa crônica. Se ela sair é porque resisti.
:b

 Brinco D'as Meninas Ateliê por R$ 39,00


sexta-feira, 6 de maio de 2011

terça-feira, 3 de maio de 2011

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Quem me diz
Da estrada que não cabe onde termina
Da luz que cega quando te ilumina
Da pergunta que emudece o coração
Quantas são
As dores e alegrias de uma vida
Jogadas na explosão de tantas vidas
Vezes tudo que não cabe no querer
Vai saber
Se olhando bem no rosto do impossível
O véu, o vento o alvo invisível
Se desvenda o que nos une ainda assim
A gente é feito pra acabar

...


Marcelo Jeneci
No cine-pensamento eu também tento reconstituir


Brinco D'as Meninas Ateliê por Ayone Alves


Você vai rir, sem perceber, felicidade é só questão de ser



pulseira D'as Meninas Ateliê por R$ 69,00

domingo, 1 de maio de 2011

Coruja, eu?..
...magiiiiiiina... rsss


A Cla me enrola, ela me encanta!


É a ilusão de que volte
O que me faça feliz
Faça viver
Porque no supiste entender a mi corazón?
Lo que había en él, porque no?
Tuviste el valor de ver quien soy
Porque no escuchas lo que está tan cerca de ti?
Sólo el ruido de afuera y yo
Que estoy a un lado desaparezco para ti

No voy a llorar y decir que no merezco esto
Porque es probable que lo merezco
Pero no lo quiero
Por eso
Me voy
Que lástima pero adiós
Me despido de ti y me voy
Braceletes D'as Menias Ateliê
desenhado por Ayone Alves
R$ 120,00 cada

Que lástima pero adiós
Me despido de ti

Porque sé que me espera algo mejor
Alguien que sepa darme amor
De ese que endulza la sal
Y hace que salga el sol
Yo que pensé nunca me iría de ti
Que es amor del bueno de toda la vida
Pero hoy entendí
Que no hay suficiente para los dos
Julieta Venegas